terça-feira, 22 de abril de 2014

Senado aprova Marco Civil da Internet

Projeto já foi aprovado pela Câmara e seguirá para sanção presidencial.
Governo barrou todas as mudanças propostas para acelerar a aprovação.

Priscilla Mendes Do G1, O plenário do Senado Federal aprovou nesta terça-feira (22) o projeto de lei que institui o Marco Civil da Internet, considerado uma espécie de Constituição para uso da rede no país. O texto, que foi aprovado no mês passado pela Câmara dos Deputados, não sofreu alteração de conteúdo pelos senadores e seguirá agora para sanção da presidente da República.
O projeto, que estabelece princípios, garantias, direitos e deveres para internautas e provedores, tramitou por menos de um mês no Senado. A pedido do Palácio do Planalto, os senadores aliados barraram as propostas de alteração sugeridas. Se isso ocorresse, o texto teria que retornar para análise dos deputados, o que adiaria a aprovação.
O governo tinha pressa em aprovar a matéria devido à conferência internacional sobre governança na internet, que será realizada em São Paulo nesta semana. A presidente Dilma Rousseff vai participar do evento nesta quarta e quer levar o Marco Civil como uma das respostas do seu governo às denúncias de que autoridades e empresas brasileiras teriam sido espionadas pela NSA, agência de inteligência dos Estados Unidos.
O projeto, porém, não é recente. Foi enviado em 2011 pelo Executivo à Câmara dos Deputados e só aprovado em 25 de março deste ano após intensa negociação entre parlamentares e Planalto. A chamada neutralidade de rede, princípio considerado um dos pilares do projeto, foi aprovada e passará a vigorar com a sanção da nova lei.
O armazenamento de dados no Brasil, que era considerado uma prioridade para o governo com objetivo de coibir atos de espionagem, não foi aprovado. Essa obrigação já havia sido derrubada pelos deputados para viabilizar a aprovação na Câmara (veja regras abaixo).
No plenário do Senado, a aprovação só foi possível porque os senadores aprovaram um requerimento de inversão de pauta, o que levou o projeto ao primeiro item a ser votado nesta noite. Governistas tentaram acordo com a oposição para dar urgência ao projeto, mas não conseguiram consenso com PSDB e DEM.
A oposição não foi contrária ao Marco Civil da forma como está, mas alegou que o Senado poderia "aperfeiçoar" o texto, segundo afirmou o líder do DEM, José Agripino (RN). "Eu quero só um mês para desatar alguns nós desse Marco Civil da Internet", apelou.
O líder do PSDB, Aloysio Nunes (SP), disse que os senadores têm "um papel a cumprir" na elaboração do projeto e criticou a pressa do governo. "Existe uma disposição do governo de não aceitar nenhuma emenda, estamos proibidos de fazer emenda e, se fizermos, será apenas para constar. Essa é uma atitude autoritária da presidente da República", criticou.
Por outro lado, a ex-ministra da Casa Civil senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) negou "encaminhamento autoritário". "Há tão somente uma matéria importantíssima em pauta", rebateu. "Temos um grande evento acontecendo no Brasil, e é importante que tenhamos uma resposta concreta para regular a internet", afirmou a petista.
Plenário do Senado durante votação do Marco Civil da Internet (Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado)Plenário do Senado durante votação do Marco Civil da Internet (Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado)
Neutralidade
Aprovada junto no projeto, a neutralidade de rede pressupõe que os provedores não podem ofertar conexões diferenciadas, por exemplo, para acesso somente a emails, vídeos ou redes sociais. O texto estabelece que esse princípio será ainda regulamentado pelo Poder Executivo, para detalhar como será aplicado e quais serão as exceções.
Isso será feito após consulta à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e o Comitê Gestor da Internet (CGI). As exceções servirão para garantir prioridade a "serviços de emergência" e a qualidade de algumas transmissões, como vídeos ao vivo. Assim, a transmissão de e-mails, por exemplo, pode ter menor prioridade no tráfego de dados em prol de outros serviços.
Críticos da neutralidade dizem que o princípio restringe a liberdade dos provedores para oferecer conexões diferenciadas conforme demandas específicas de clientes e que sua aplicação obrigatória pode encarecer o serviço para todos indistintamente. A proposta não impede a oferta de pacotes com velocidade diferenciada.
Retirada de conteúdo
De acordo com o projeto, provedores de conexão à web e aplicações na internet não serão responsabilizados pelo uso que os internautas fizerem da rede e por publicações feitas por terceiros.
Atualmente não há regras específicas sobre o caso e as decisões judiciais variam - alguns juízes punem sites como o Facebook e Google por páginas ofensivas criadas por usuários, enquanto outros magistrados optam por penalizar apenas o responsável pelo conteúdo.
De acordo com a nova legislação, as entidades que oferecem conteúdo e aplicações só serão responsabilizadas por danos gerados por terceiros se não acatarem ordem judicial exigindo a retirada dessas publicações. O objetivo da norma, segundo o deputado Alessandro Molon, relator do projeto, é fortalecer a liberdade de expressão na web e acabar com o que chama de "censura privada".

Fim do marketing dirigido
Pelo texto aprovado, as empresas de acesso não poderão "espiar" o conteúdo das informações trocadas pelos usuários na rede. Há interesse em fazer isso com fins comerciais, como para publicidade, nos moldes do que Facebook e Google fazem para enviar anúncios aos seus usuários de acordo com as mensagens que trocam.
Essas normas não permitirão, por exemplo, a formação de bases de clientes para marketing dirigido, segundo Molon. Será proibido monitorar, filtrar, analisar ou fiscalizar o conteúdo dos pacotes, salvo em hipóteses previstas por lei.
Sigilo e privacidade
O sigilo das comunicações dos usuários da internet não pode ser violado. Provedores de acesso à internet serão obrigados a guardar os registros das horas de acesso e do fim da conexão dos usuários pelo prazo de seis meses, mas isso deve ser feito em ambiente controlado.
A responsabilidade por esse controle não deverá ser delegada a outras empresas.
Não fica autorizado o registro das páginas e do conteúdo acessado pelo internauta. A coleta, o uso e o armazenamento de dados pessoais pelas empresas só poderão ocorrer desde que especificados nos contratos e caso não sejam vedados pela legislação.
 em Brasília

Secretária reconhece 24 municípios de MT em estado de emergência

Cerca de 24 municípios de mato Grosso já foram reconhecidos pela Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil como cidades em situação de emergência ou estado de calamidade, devido a decorrência das fortes chuvas nos últimos meses. Na semana passada, oito novos municípios realizaram o decreto, o prazo de cada decreto é de 180 dias a partir da publicação.

As cidades que já foram reconhecidas pela Defesa Nacional com situação de emergência, são: Alta Araguaia, Arenápolis, Barra do Bugres, Carlinda, Cláudia, Colniza, Confresa, Ipiranga do Norte, Itaúba, Matupá, Mirassol D“Oeste, Nova Bandeirantes, Nova Canaã do Norte, Nova Guarita, Nova Maringá, Nova Santa Helena, Novo Mundo, Pontal do Araguaia, Santa Cruz do Xingu, Santa Terezinha, São José do Rio Claro, São José dos Quatro Marcos, Sorriso e Terra Nova do Norte.

Esses municípios já montaram os processos de emergência. As ações serão direcionadas para atender as demandas de restabelecimento de cenários, reconstrução de pontes e bueiros. De acordo com a defesa Civil ainda restam vários municípios para ter a situação reconhecida como emergência. Os processos dessas cidades estão em análise no Cenad (Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres) da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil.

No última dia 11 de abril a Confederação Nacional dos Municípios (CNM), realizou uma paralisação nacional em protesto à atual situação de vulnerabilidades de alguns municípios do país, em Mato Grosso 75% dos 141 municípios participaram da campanha. (Com Assessoria)
Fonte: Gazeta Digital

Delegado agride a tapas e empurrões investigador no interior de MT

Investigadores e escrivães da Polícia Civil de Mato Grosso fizeram na tarde de hoje um ato de repúdio e desagravo contra o delegado regional de Confresa, Ronan Gomes Villar. Ele é acusado de agredir verbalmente e fisicamente com tapas e empurrões o investigador Iguiu Vitor, lotado na delegacia de Vila Rica.

A agressão foi presenciada por vários policias e a entidade já solicitou a diretoria da Polícia Civil para afastar o delegado. De acordo com informações do Siagespoc, a vítima não reagiu ao "ato violento e desequilibrado do superior que aconteceu depois de uma discussão banal".

O delegado Renan já foi alvo de outras representações por parte de outros policiais. Ele também já foi denunciado ao Ministério Público Estadual pela agressão cometida durante o feriado prolongado.

O presidente do Siagespoc de Mato Grosso, Aníbal Marcondes, condenou a atitude arbitrária do delegado e disse que este tipo de prática não será mais tolerada em Mato Grosso. “Isso não foi um ato isolado e sim afetou toda categoria. Todo policial civil deste Estado recebeu junto com o colega essa agressão. Não podemos e não vamos admitir nenhum tipo mais de abuso de autoridade e desrespeito com o policial, com o servidor, com o homem de bem. Nosso descontentamento não é contra nossos superiores, mas com a falta de respeito de alguns com nossa categoria”, declarou Marcondes.

PAD
A Diretoria da Polícia Civil determinou a instauração de procedimento administrativo para apurar denúncia de agressão cometida pelo delegado Ronan Gomes Villar. O caso será apurado pela Corregedoria Geral de Polícia Civil.

O delegado geral, Anderson Garcia, recebeu a categoria de investigadores para comunicar as medidas iniciais tomadas. “O fato chegou ao nosso  conhecimento e imediatamente encaminhamos à Corregedoria para que seja tomada todas as medidas administrativas cabíveis”, afirmou o delegado geral. Garcia informou ainda que todas as partes serão ouvidas a fim de esclarecer todas às circunstancias dos fatos.

Vilar é reicincidente em agressões a policiais civis. Em 2012, ele trancou uma investigadora numa cela na delegacia de Porto Alegre do Norte
Fonte: Folha Max

Cidades que mais crescem no Brasil estão em MT; as que mais definham também

Cidades que mais crescem no Brasil estão em MT; as que mais definham também Cenário da cidade de Itauba, no Norte de Mato Grosso: arco da decadência em Mato Grosso
Ao fundo, uma fila de colheitadeiras vai arrancando as últimas vagens da plantação. Cortando o horizonte, carretas e caminhões carregados de soja ‘serpenteiam’ entre os buracos da BR-163, no Norte de Mato Grosso. Entre um acidente ou outro, uma morte aqui e outra ali, a situação revela a falta de infraestrutura latente de uma região há muito declarada próspera, rica, muita rica. Nesse cenário de extremos, aparece Lucas do Rio Verde, conhecida com a sua alta qualidade de vida e alto Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do Brasil. Resultado dessa pujança, mesmo com o sufoco provocado pelo desleixo governamental, acaba de ser confirmado agora: o IBGE colocou a cidade como a sétima no pais que mais cresceu em índice populacional entre 2000 e 2013. Chegou a 173,6%.
 Pertinho de Lucas, nos índices, com o mesmo cenário econômico e de desenvolvimento humano com similaridade, embora em outra região do Estado, aparece Sapezal, no meio Oeste, que cresceu 166,1%. Mas também poderia ser Sorriso, cuja população dobrou nesse período, chegando a 110% de aumento. Poderia ser Nova Mutum, com incremento de 147% ou outra cidade da região. O cenário não é diferente em Campo Verde, no lado Leste do Estado, que passou de 100% também. Por todos os cantos do Estado, o agronegócio segue atraindo gente e mais gente – e problemas, claro, muitos problemas.
 A rigor, por conta desse fluxo populacional de Mato Grosso segue com sua população em ascendência. Já foi bem maior, desacelerou bem, mas continua. De acordo com os números do IBGE, das 141 cidades do Estado, 103 tiveram aumento populacional no período. Algumas com crescimento muito pequeno, outras estagnadas, como Poconé, uma das mais antigas e pacatas cidades do Estado, portal de entrada do Pantanal Matogrossense. Descoberta em 1777, a cidade cresceu apenas 4% entre 2000 e 2013. Traduzindo em gente: pulou de 30.773 para 32.053.
As demais, isso mesmo, as outras 38, estão se definhando. Fora da rota do agronegócio, parecem sobreviver do quase nada. Caso de Itauba. A cidade está situada ao Norte do estado a 570 quilômetros da capital Cuiabá. Nesse período da virada do século até agora, perdeu metade de sua população. É, do pais, a quarta que teve mais expressiva queda populacional. A frente estão apenas para Maetinga, na Bahia, Brejo da Areia, no Maranhão e Severiano Melo, no Rio Grande do Norte, em pior decadência. Os vizinhos de Itauba estão nas mesmas condições: União do Sul, por exemplo, perdeu 13% da população. Em São José do Xingu, a queda foi de 10%. Em Terra Nova do Norte, a população reduziu 26%. Em Tabaporã, menos 10%. Ali por perto, mais a noroeste do Estado, Aripuanã perdeu 27%. Pode até ser chamado de 'arco da desolação'.
Outra cidade que está em situação populacional crítica em Mato Grosso é Novo São Joaquim, no Vale do Araguaia. A cidade nunca foi um primor para seus habitantes e sempre figurou na lista dos municípios com grau relativo de deficiência econômica. Em 13 anos, perdeu 40% da população. Desceu de 9,4 mil habitantes para 5,6 mil. Outros municípios ali por perto como Poxoréo, Planalto da Serra e Araguaina estão na mesma situação, ou seja, decadência populacional confirmada. É, em verdade, uma 'cortina de tristeza' no Leste do Estado - em região que já foi chamada de 'Vale dos Esquecidos', com toda razão.
Especialistas apontam que o percentual de cidades que encolheram pode ser explicado pela combinação de dois fatores: a redução da fecundidade geral no país e os processos migratórios internos. Segundo dados do Censo Demográfico de 2010 divulgados em 2012 pelo IBGE, a taxa de fecundidade brasileira caiu de 6,16 filhos por casal em 1940 para 1,9 entre 2000 e 2010. Para a população continuar crescendo, o nível mínimo é de 2,1. Por isso, o ritmo de aumento da população no país passou de 3% ao ano na década de 50 para 1,17% na última década.
No caso de Mato Grosso, a clareza dos aspectos sócio econômicos são flagrantes. Nas cidades em queda populacional é notório o fim dos ciclos de exploração. Itauba, por exemplo, sobreviveu por muitos anos da extração dos recursos florestais. Tenta agora usar os ‘clarões’ na floresta para plantio de grãos. Mas a calamidade toma conta da região. No começo do mês, como de costume, o cenário era gritante: atoleiros, pontes caídas, estradas intransitáveis, alunos sem poder estudar devido às péssimas condições das estradas. Neste ano, o Governo chegou a reconhecer a ‘Situação de Emergência’ devido a precariedade em tudo. Para se ter uma idéia, produtores rurais falaram em grandes perdas.
Diante de tantas dificuldades, o esgotamento acabou sendo um processo natural em Itauba e nas outras 37 cidades com queda populacional em Mato Grosso. Não quer dizer absolutamente que cidades como Lucas do Rio Verde, no ‘topo’ do IDH-M e do crescimento populacional, estejam vivendo as maravilhas dos benefícios desenvolvimento mesmo com sua rica economia. Pelo contrário. A diferença entre a ‘cidade dos grãos de ouro’ e daquela que foi um dia próspera na venda de madeira, em verdade, situa-se apenas no campo das perspectivas futuras. Lucas tem tudo para crescer mais e sobreviver. Itauba, corre risco.
Em comum, enfrentam problemas de segurança pública, saúde e infraestrutura urbana e rural. Em Lucas, por exemplo, apesar de tudo, seus cidadãos são taxativos ao dizer que a cidade precisa avançar no tratamento do lixo, no saneamento básico e nas políticas públicas de cultura, no transporte público urbano e na recuperação das áreas de reserva legal. Como acontece também em Itauba.
No cenário onde caminhões e carretas carregados de soja que cortam no horizonte a BR defeituosa e perigosa, o caos social é tão fomentado como nas estradas de floresta, pela qual carretas e caminhões carregados da produção ficam atolados por vários dias em verdadeiros lamaçais.
E para que não paire duvidas, há pouco, por conta desse crescimento latejante, o município de Lucas do Rio Verde, o rico do momento, foi obrigado a enfrentar graus elevados de criminalidade com a expansão da agroindústria e a chegada de mais gente. A Prefeitura teve que assinar um acordo com uma das maiores empresas do ramo de alimentação, o Grupo BRF, para eliminar os impactos sociais causados pela necessidade de se atrair mais mão de obra.
“O crescimento do município tem provocado problemas sociais de segurança pública e cidadania, inclusive com altos índices de criminalidade” – define o prefeito Otaviano Pivetta, que cobra atuação do Governo.
Ou seja, o caminhar das duas cidades em rumos opostos, seguem a mesma trilha em que o Estado que muito se cobra e pouco se oferece em todas as áreas.

Policia Militar de MT aplicará multas de trânsito através de celulares


Policia Militar de MT aplicará multas de trânsito através de celulares

Um aplicativo de celular está sendo testado pelos policiais militares do Batalhão de Trânsito no intuito de reduzir o número de recursos contra multas de trânsito em Mato Grosso. As autuações devem ser feitas por meio de telefones celulares. Segundo a PM, atualmente um policial demora cerca de cinco minutos para preencher um formulário de multa e, com o celular, esse tempo deve ser reduzido para um minuto.
Deverão ser preenchidos somente quatro espaços: placa do carro, CPF do motorista, local da infração e tipo de infração. "Nós daremos mais celeridade nas abordagens, não havendo a demora em virtude da sobrecarga", disse o capitão Mario William Ribeiro Fujinaka, subcomandante do Batalhão de Trânsito.
Os policiais usavam o Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp) para terem acesso às informações do Departamento Estadual de Trânsito (Detran). O contato era feito via rádio ou por telefone, pelo número 190. Com o celular conectado à internet e interligado à base de dados, a consulta será bem mais rápida, conforme o coordenador de Tecnologia de Informação da PM, capitão Edson Carvalho Júnior.
"A partir dessa ferramenta, o policial poderá, de forma imediata, acessar a base de dados do Detran, e fazer as consultas com maior precisão e menor tempo de resposta ao cidadão", afirmou. O investimento para a implantação da nova tecnologia foi de R$ 350 mil, aproximadamente. Com a ferramenta, o PM poderá fazer imagens para comprovar a irregularidade no trânsito.
Na avaliação do presidente do Detran-MT, Eugênio Destri, o aplicativo pode ajudar a diminuir o índice de recursos contra as multas. Nos últimos dois anos, 56% dos motoristas conseguiram anular as autuações. "Muitos autos de infração são cancelados por rasuras, erros, por estarem ilegíveis", frisou.
Fonte:  FolhaMax

Corte nos salário provoca demissão de médicos em Cuiabá-

Segundo a categoria a maioria dos médicos da UPA da Morada de Ouro já deixou suas atividades
Corte nos salário provoca demissão de médicos em Cuiabá

Os médicos da rede municipal de Cuiabá estão cumprindo a promessa de deixar suas funções em represália ao corte nos salários e falta de melhores condições de trabalho tanto no Pronto Socorro de Cuiabá como nas policlínicas e nas Upas – Unidade de Pronto-Atendimento e PSF – Programa de Saúde da Família.
 
A maioria dos médicos lotados na Upa da Morada de Serra já pediu demissão. A unidade vem operando com o mínimo de pessoal e não conseguindo atender a população, o que leva mais gente para o Pronto Socorro em busca de médicos.
 
A categoria reclama que o prefeito Mauro Mendes, através da Secretaria Municipal de Saúde decidiu promover uma redução de R$ 1,2 mil nos salários dos médicos. A maioria das demissões está acontecendo entre os médicos contratados, que representam 70% do efetivo médico que atende a população cuiabana.
 
Os médicos reclamam que este valor de R$ 1,2 mil, referentes a prêmios conquistados em acordos salariais anteriores foi cortado da folha de pagamento e da falta de diálogo com o secretário municipal de saúde, Werlei Silva Peres. Dizem que o secretário ao invés de chamar a categoria para discutir a redução salarial apenas avisou a um dos médicos do corte, solicitando que comunicasse a todos.
 
Segundo os médicos, "trabalhar para a rede pública já é ruim devido aos baixos salários e as precárias condições de trabalho, com o corte da premiação ficou ainda pior".
 
Os médicos demitidos informaçram que houve uma reunião entre os profissionais e o secretário municipal de Saúde, Werley Silva Peres, para deixá-lo a par do descontentamento da categoria quanto ao corte da premiação, a diminuição do valor dos plantões e a respeito da possível demissão de todos os profissionais. Segundo eles, o secretário foi lacônico informando que nada poderia fazer.
 
O número de médicos que o Sistema Único de Saúde (SUS) possui para atender a população cuiabana já é pequeno, preocupação que deve aumentar durante a Copa do Mundo. Semana passada a prefeitura de Cuiabá anunciou a contratação emergencial de 40 novos médicos, para o atendimento na UPA e policlínicas. 
 
-

Homem é baleado, enforcado e queimado no meio da rua em Machadinho do Oeste

Um bárbaro crime chocou a cidade de Machadinho do Oeste, interior de Rondônia, na manha desta sexta-feira da paixão (18), onde um homem foi assassinado com requintes de crueldade.

Segundo informações, o corpo da vítima que até o momento não foi identificado, além de possuir uma perfuração possivelmente causada por disparo de arma de fogo, foi enforcado com uma corda e logo em seguida ateado fogo.

O crime aconteceu na Avenida Castelo Branco, bairro Bom Futuro, perímetro urbano de Machadinho. Até o presente momento a vítima ainda não foi identificada, a policia não descarta o envolvimento desse crime com outro homicídio ocorrido há dois dias atrás, onde na ocasião um senhor de 67 anos foi executado a tiros dentro de sua própria residência.

A suspeita dar-se em função do corpo queimado ter sido executado em frente à residência onde aconteceu o primeiro crime.


Fonte: O PANTANAL ONLINE

Mais de um milhão de bezerras devem ser vacinadas contra brucelose em MT

A primeira etapa de vacinação contra a brucelose termina em junho. A imunização é obrigatória em todas as fêmeas de três a oito meses de idade.  Este ano, estima-se que cerca de 1,3 milhão de bezerras sejam vacinadas em todo o Estado. Além de ser obrigatória, a vacinação é a única forma de evitar a doença.

A Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato) reforça a importância da imunização do rebanho e orienta para os pecuaristas procurarem um médico veterinário credenciado pelo Instituto de Defesa Agropecuária (Indea) para fazer a vacinação, conforme determina o Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose Animal. "Além de estar cumprindo com a obrigação sanitária, com a vacina o produtor vai garantir a sanidade animal do seu rebanho", ressalta o diretor de Relações Institucionais da Famato, Rogério Romanini.

A vacinação contra a brucelose é dividida em duas etapas, sendo uma em cada semestre do ano. O produtor é obrigado a vacinar todas as bezerras de três a oito meses de idade até 30 de junho, não podendo deixar para imunizar esses animais na segunda etapa. Somente podem ser vacinados na segunda etapa os animais que estão fora da faixa etária de vacinação até 30 de junho. Por exemplo, se a bezerra estiver com quatro meses de idade deverá ser obrigatoriamente vacinada na primeira etapa. Neste caso o produtor não pode deixar a vacinação para o segundo semestre, pois terá que pagar multa.

 O produtor também precisa comunicar a imunização ao Indea. A comunicação da primeira etapa pode ser feita até o dia 30 de junho e a da segunda até 31 de dezembro. Quem não realizar a vacinação pode ser multado em 2,25 UPFs (Unidade de Padrão Fiscal), sendo que cada UPF equivale a R$ 106,73. As propriedades irregulares com a vacinação ficam impedidas de transitar com bovinos e bubalinos machos e fêmeas de qualquer idade, categoria ou finalidade.

 A brucelose pode ser responsável por consideráveis perdas econômicas para o pecuarista, pois a doença causa aborto e morte de bezerros recém-nascidos. Humanos também podem contrair a brucelose se consumirem carne ou leite cru de animais contaminados ou por meio do manuseio de animais contaminados através do sangue, fetos e secreções.

Mato Grosso tem a energia mais cara do país


Acidente com vaca quase termina em morte em AF

Foto: Oliveira Dias
Da Redação

Um acidente, registrado ontem, próximo á sub estação da Rede Cemat, na Rodovia MT 208, quase terminou em morte e envolveu um caminhão boiadeiro e um carro de passeio com uma família, que vinha do rio Santa Helena.

Em sentido contrário trafegava um caminhão, mercedes benz, branco, dirigido por Antonio Sergio Bertin, 44 anos, que acabou atropelando uma vaca que surgiu de repente, atravessando a pista.

O animal foi lançado contra o carro da família, entre os ocupantes duas crianças e uma idosa. O veículo foi tirado da pista por seu motorista, Robson Trindade. Robson relatou ao Clique Noticias que o caminhoneiro não tirou do animal para não colidir de frente com o carro de sua família. 

O animal morreu na hora. O proprietário não foi identificado.

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Secretaria municipal de Assistência Social entrega ovos de páscoa para crianças e idosos de Nova Guarita

Contribuindo com o verdadeiro significado da Páscoa, uma festa cristã que comemora a Ressurreição de Cristo, a Secretaria de Assistência Social e a Prefeitura de nova guarita promoveram uma verdadeira festa onde fizeram a entrega de ovos de Páscoa a comunidade carente que participa dos projetos, sociais.Um coelhinho  animou a festa, com muita simpatia.
            Segundo a primeira dama Ivete Endler, Secretária de Assistência Social, este mimo é muito especial para as crianças, já que muitas famílias têm dificuldade de agraciar todos os filhos com ovos de chocolate. "A Páscoa é um momento tão especial, no qual as crianças adoram, e claro, elas amam ganhar ovos de chocolate, isso faz muito bem para cada uma delas, por isso, fizemos um trabalho neste sentido, que é para agradar e dar um pouco de felicidade para as crianças, e
ressaltou a importância do evento. “Páscoa é um período de mudança. Desejamos, através de ações como esta, agregar benefícios na formação interior dessas crianças, além de transmitir a importância de momentos de solidariedade, fé e amor ao próximo, para todos os integrantes do programa”, afirmou.

o respeito aos pais e familiares e do significado da Páscoa que representa a ressurreição de Cristo, também pediu a cada um independente da religião que façam desta páscoa um momento de reflexão.
ovos de páscoa balas, bolo,foram   distribuídos entre os Programas PETI, ProJovem, Projeto Feliz Idade,Cras,Creas, equipe volante,  ,APAE e creches.























Baile da aleluia em Nova Guarita 2014

O baile foi um sucesso absoluto. Mais uma vez em Nova Guarita, muitos visitantes vieram de outras cidades para o baile de Aleluia.. O baile que comemorou a chegada da Páscoa lotou o Salão Paroquial na noite deste sábado (19), principalmente por famílias, que buscavam a tradição e a acolhida de um bom baile, marcas registradas do evento.
"Como sempre foi, sempre será sucesso esse grandioso evento tradicional em nosso município....Mega Baile de aleluia animado pela Banda agita som, Parabéns galera pela bela organização e pelo brilhante evento."















Advogado contesta versão e diz que Tiradentes morreu careca em MG

Mário Caldonazo escreveu livro onde questiona divergências históricas.
Para ele, a imagem de Tiradentes foi criada como jogada de marketing.

Do G1 Sul de Minas
 

Um advogado de Varginha (MG) questiona a história de Tiradentes que é contada pelos livros. Mário Caldonazo tenta provar que o mártir não morreu barbudo e cabeludo, conforme contam as publicações de história. Nesta segunda-feira (21) é celebrada a data em que Tiradentes foi morto no ano de 1792. Tiradentes foi o único de todos os inconfidentes presos que foi condenado à morte.
O resultado de 6 meses de estudo do advogado deu origem ao livro “A Defesa dos Inconfidentes: Justiça ainda que tardia a um digno advogado” que será publicado ainda este ano. Nele, o advogado apresenta as conclusões dos estudos, que o levam a crer nas divergências históricas. “Meu objetivo é fazer com que a verdadeira história seja conhecida, nem que seja aos poucos”, disse.
  •  
Advogado de Varginha contesta história oficial de Tiradentes (Foto: Reprodução EPTV)Advogado de Varginha contesta história oficial de
Tiradentes (Foto: Reprodução EPTV)
Caldonazo ficou surpreso ao descobrir que a versão contada nas escolas e as imagens impressas em livros didáticos são diferentes. “Nada mais é do que um marketing feito pela Corte Portuguesa na tentativa de eleger um herói nacional. Não existe nenhuma imagem de como ele era. Não havia fotografia naquela época e nenhum historiador confirma as reproduções. Eu questiono a aparência porque era proibido usar barba e cabelo comprido no período em que a história aconteceu. Por isso, acredito que ele, como os outros, tenha sido enforcado com a cabeça e a barba raspadas”, contou.
O advogado conta que fez as ‘descobertas’ enquanto lia sobre o trabalho do defensor público designado para defender os 29 acusados da Inconfidência Mineira. O advogado estudou os 10 volumes do processo original do movimento da Inconfidência Mineira. O processo durou de 1789 a 1791 e Tiradentes foi interrogado 11 vezes. Ele diz ainda que o advogado que atuou como defensor dos réus da inconfidência mineira, incluindo o Tiradentes, teve apenas 21 dias para ler todo o processo e elaborar os argumentos de defesa.
De acordo com os livros de história, Tiradentes teria sido enforcado por assumir a autoria da liderança do movimento, mas segundo os estudos do advogado, Tiradentes teria feito isso em um ato de heroísmo para não comprometer os colegas. “Em muitos textos aparecem informações divergentes sobre isso e sobre Tiradentes, e o fato dele ter sido condenado à morte mostra isso”, disse.
Outra divergência apresentada pelos livros é de que Joaquim José da Silva Xavier tivesse nascido em Tiradentes. Na verdade, o mártir nasceu na Fazenda do Pombal, no ano de 1746, em São João Del Rei. O fato foi reconhecido pela Justiça em 2009.
Para advogado, Tiradentes teria morrido com cabeça raspada com outros inconfidentes (Foto: Reprodução EPTV)Para advogado, Tiradentes teria morrido com cabeça raspada com outros inconfidentes (Foto: Reprodução EPTV)
Tiradentes
O apelido de "Tiradentes" veio da profissão de dentista que ele exercera. No entanto, o ofício que mais o promoveu foi o de soldado, que o levou ao movimento da Inconfidência Mineira, que buscava a libertação do Brasil diante da monarquia portuguesa no final do século XVIII.
Durante o movimento, notícias de que os inconfidentes tentariam derrubar o governo de Portugal chegaram aos ouvidos do imperador, que decretou a prisão deles. Tiradentes, para defender seus amigos, assumtiu toda a responsabilidade pelo movimento e foi condenado à morte. O governo fez questão de mostrar em praça pública o sofrimento de Tiradentes a fim de inibir a população de fazer manifestos contra a corte. Em 21 de abril de 1792, Tiradentes foi enforcado e esquartejado.